sábado, 9 de maio de 2009

O incrível exército de Brancaleone


Ótimo filme de Mário Monicelli, paródia engraçadíssima dos filmes medievais, com personagens impagáveis!
O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE
(Lâ lncredible Armata Brancaleone, ITA 1965)
DIREÇÃO:
Mário Monicelli
ELENCO:
Vittorio Gassman, Gian Maria Volonté, Catherine Spaak
90min, Look Filmes.
RESUMO
Este clássico do cinema italiano, retrata os costumes da cavalaria medieval através de uma demolidora e bem humorada sátira. A figura central é Brancaleone, um cavaleiro atrapalhado que lidera um pequeno e esfarrapado exército, perambulando pela Europa em busca de um feudo. Trata-se de uma paródia a D. Quixote de Cervantes.O filme consegue ser hilário, mesmo na reconstituição dos aspectos mais avassaladores da crise do século XIV, representados pela trilogia "guerra, peste e fome". Utilizando-se sempre da sátira, o filme de Monicelli focaliza a decadência das relações sociais no mundo feudal, o poder da Igreja católica, o cisma do Oriente e a presença dos sarracenos.
CONTEXTO HISTÓRICO
A Baixa Idade Média estende-se do século XI ao XIV, caracterizando a crise do feudalismo.O processo de decadência do sistema feudal tem origem nas próprias contradições inerentes a qualquer modo de produção. No século XI, com a necessidade de aumentar a produção de alimentos, os senhores feudais aumentaram a exploração sobre os servos, que iniciaram uma série de revoltas e fugas, agravando a crise já existente.As cruzadas entre os séculos XI e XIII representaram um outro revés para o feudalismo, já que Jerusalém não foi reconquistada pelos cristãos e o cristianismo não foi reunificado, com as igrejas Católica Romana e Ortodoxa permanecendo separadas.
A reabertura da navegação no Mediterrâneo entre Oriente e Ocidente (principal desdobramento das Cruzadas), resultou no crescimento de relações econômicas mais dinâmicas, representadas pelo Renascimento Comercial e Urbano.O trinômio "guerra, peste e fome", que marcou o século XIV, afetou tanto o feudalismo decadente, como o capitalismo nascente. A Guerra dos Cem Anos (1337-1453) entre França e Inglaterra devastou várias regiões da Europa, enquanto que a "peste negra" eliminou cerca de 1/3 da população européia. A destruição dos campos, devastando plantações e rebanhos, trouxe a fome e a morte.Nesse contexto de transição do feudalismo para o capitalismo (passagem da Idade Média para Moderna), além do desenvolvimento do comércio monetário, notamos transformações sociais, com a projeção da burguesia, políticas com a formação das monarquias nacionais, culturais com o antropocentrismo e racionalismo renascentistas, e até religiosas com a Reforma Protestante e a Contra Reforma.
Nota-se ainda, o início do processo de expansão ultramarina, que abrirá os horizontes comerciais para os Estados europeus fortalecendo tanto a burguesia como os monarcas absolutistas.

4 comentários:

neilima disse...

Meu amigo Birão!
Não sei porque eu não tenho vindo com mais frequência ao seu EXCELENTE blog...
Mas prometo que de agora em diante estarei aqui com mais assiduidade!
Admiro muito esses seus desenhos com multidão, coisa que eu acho difícil de se fazer, pois me dá uma certa preguiça. Rererê...
PARABÉNS pela arte e pelo histórico.

Abração!

Luana disse...

QUE LINDO! TUDO COPIADO DO GOOGLE, EU TA NE QUERENDO UM RESUMO DIFERENTE E SÓ RECEBO O MESMO! AFZ, QUEREM UMA DICA? OLHEM O FILME E FAÇAM UM RESUMO PRÓPRIO

Luana disse...

QUE LINDO! TUDO COPIADO DO GOOGLE, EU TA NE QUERENDO UM RESUMO DIFERENTE E SÓ RECEBO O MESMO! AFZ, QUEREM UMA DICA? OLHEM O FILME E FAÇAM UM RESUMO PRÓPRIO

Luana disse...

QUE LINDO! TUDO COPIADO DO GOOGLE, EU TA NE QUERENDO UM RESUMO DIFERENTE E SÓ RECEBO O MESMO! AFZ, QUEREM UMA DICA? OLHEM O FILME E FAÇAM UM RESUMO PRÓPRIO