sexta-feira, 14 de outubro de 2011

I ENCONTRO ESTUDIO ELY BARBOSA


Quero abrir esta postagem com o texto de meus amigos Carcamo e Goiriz, links do Wilson, Alexandre Silva, Eduardo Vetillo e Denise Ortega:
http://www.facebook.com/photo.php?fbid=2227862174094&set=a.1209405553315.2031644.1174006117&type=1&theater
http://finalmentearte.blogspot.com/2011/10/1-encontro-estudio-ely-barbosa.html
http://alexandrehq.blogspot.com/2011/10/i-encontro-estudio-ely-barbosa.html
http://vetillobrothers.blogspot.com/2011/10/encontro-de-ex-colaboradores-do-estudio.html
http://www.gibiosfera.com.br/equipe
Carlos Carcamo:
"Gracias Bira por las fotos que me has enviado.
Me dieron ganas de haber estado allí celebrando ese encuentro.
Qué saudade!
Um grande abraço."


Roberto Goiriz
"HOMENAJE A ELY BARBOSA
Hace unos 25 años, en la ciudad de São Paulo, me encontraba, recién llegado, en el medio de la vorágine de una urbe con más gente de la que nunca había visto, caminando, entrecruzándose en las calles, cada uno perdido en su universo de tareas y preocupaciones diarias. Una ciudad muy diferente de la Asunción provinciana y temerosa de la que había huido, inmersa aún en los vapores y la represión de la dictadura.
Allí encontré, en los secretos escondrijos de esta São Paulo inmensa, almas amigas que también gustaban de los cómics, y los producían para tal cantidad de lectores que se me hacía difícil creerlo. La primera editora que compró mis trabajos fue la Press, una pequeña empresa que tuvo la osadía de lanzar producciones de terror, ciencia ficción, eróticas y aventuras en general, realizadas por autores locales (y algunos ingresados de contrabando, como me decían en broma).

A la semana de haber llegado, ya había vendido cinco historietas y me encontraba hablando por teléfono con un señor de nombre Jorge, quien se decía coordinador de un estudio llamado Ely Barbosa, nombre que nunca había escuchado antes, que me invitaba a visitar el estudio, pues se había enterado de mi presencia y deseaban entrevistarme, en vistas a una posible contratación.
Fui al estudio, ubicado en una extensa avenida, la Indianópolis, al 1337. La fachada exhibía gigantescos dibujos de los personajes del artista, a quien conocí casi inmediatamente. Examinó mis dibujos con rapidez profesional. "Vos dibujás en un escritorio plano", me dijo. "Tenés que utilizar una mesa de dibujo, inclinada, para que veas tus dibujos con una mejor perspectiva". La observación era correcta, como descubrí después. Instalado delante de una "prancheta", como le decían a la mesa de dibujo, sufrí durante varios días, tratando de ajustar mi estilo desordenado al de los personajes, que era el de su creador. Finalmente, Ely se sintió satisfecho y aprobó mi ingreso al estudio.
La editorial Abril, una de las mayores de Brasil, había perdido recientemente a su principal estrella de los "quadrinhos", como se llaman las historietas en Brasil. Mauricio de Souza, tentado por una oferta de la editora Globo, había abandonado su tradicional casa editora, y la Abril no sabía muy bien cómo reemplazarlo, hasta que recordaron a Ely Barbosa, quizá el único que podía hacer frente al gran autor de la "Turma de Mónica". Ely tenía también varios personajes infantiles, publicados anteriormente en diferentes editoras, y se movía con comodidad en varios ámbitos conexos, como la animación, la promoción, el merchandising, shows de TV, etc. Era un creador múltiple.
La batalla empezó justo cuando yo llegaba a Brasil, en 1986, y me ví sumado a ella: cinco revistas mensuales no eran poca cosa. Las historietas tenían un recorrido industrial: guión bocetado, aprobación de la editora Abril, dibujo a lápiz, correcciones de Ely, letras, luego tinta de la página, luego color indicado en fotocopias, aprobación de la Abril, y a imprenta. Todo, con una rapidez inusitada. Llegué a producir unas 70 páginas por mes.

Ely estaba a la cabeza de todo el proceso, creando, bocetando, corrigiendo, negociando nuevos contratos, impulsando nuevas ideas. Era incansable y se preocupaba por los detalles. Explicaba que el estándar de calidad que pretendía era el de Disney. Riguroso en los procesos, el producto final iba cobrando forma hasta su publicación. Fue una gran escuela para muchos de los que tuvimos la fortuna de compartir ese tiempo y ese espacio: Otávio y Eliete Barbosa, Otávio Mesquita, Bira Dantas, Aparecido Norberto (Cidão), Vera Tolaine, Alexandre Silva, Matilde Mastrangi, Mingo de Souza, Ademir Pontes, Arthur Garcia, Carlos Cárcamo, Sérgio Valezin, Danilo dos Santos, Paulo Salles, Sonia Uemura, Edde Wagner, Sergio Morettini, João Costa, Marinho Gomes, Sandro Cleuzo, Cleiton Cafeu, Claudio Callao, Tina Glória, Paulo Borges, Regiane Cledy, Tuta, Caê, Goiabinha, Claudio Corazza, Ernesto Bambini, Jorge Luis de Souza, Sueli Ortega, Flavio Ferb, Maria Tereza Maldonado, Fati Gomes, Eduardo Mascarenhas, Walter Caldeira, Messina Neto, Bene. Y muchos otros creadores, de Brasil y de casi toda Sudamérica.
El impacto del trabajo de Ely Barbosa y su equipo fue, me parece, muy importante para la historieta brasileña. Le dio una opción de calidad al público en cuanto a propuestas infantiles, hasta entonces dominada por Sousa y Disney. Creó nuevos lectores de historietas gracias a personajes muy adentrados en la realidad brasileña, compartió los millones de lectores que consumían ese tipo de revistas, y le permitió a la Abril competir con éxito, durante varios años, para mantener su porción de mercado.
Y para mí, fue la oportunidad de conocer los procesos de producción editorial de historietas y, quizá lo más importante, conocer a tantos grandes creadores de ese país.
Ely murió en 2007. Su obra permanece, y su recuerdo vive en quienes tuvimos la fortuna de encontrarlo en este camino de cuadritos y onomatopeyas."



ERA UMA NOITE ESCURA.
ESTAVAMOS SEM LUZ.
CHOVIA A CANTAROS.
Não, isso não é uma historia de Terror de José Mojica Marins, o Zé do Caixão.
Foi o I Encontro do Estudio do Ely.
Hauahahuahuauhauhauhaauhauhahauhahauahahuauh

Alex Silva:
http://alexandrehq.blogspot.com/
"Sábado, 08 de outubro, um evento em São Paulo reuniu em uma só noite, diferentes gerações de artistas e colaboradores que trabalharam no já lendário ESTÚDIO ELY BARBOSA. A festa que começou ás escuras devido a falta de energia provocada pelo temporal que assolou a cidade no fim de tarde, contou com a presença de vários artistas do traço. O antigo sobrado da Av Indianópolis, 1337, que chamava atenção de quem passava, com sua fachada exibindo os coloridos e alegres personagens de Ely, hoje ostenta uma placa de aluga-se. O estúdio não existe mais. Mas ele reabriu nessa noite de 08 de outubro! E foi tomado pelas mesmas pessoas que fizeram desse lugar um dos mais fantásticos centros de criação de personagens, quadrinhos, livros, produtos, enfim, tudo que saía da mente inventiva e criativa do sr. Ely Rubens Barbosa. O sobrado ainda respira arte, pois, no mesmo endereço, na outra metade do sobrado funciona o Estúdio Plug & Play, de Otávio Barbosa, filho de Ely. E foi ali o palco do reencontro de pessoas como Bira Dantas, que trabalhou no Estúdio no início da década de 1980, desenhando o gibi OS TRAPALHÕES, hoje um clássico dos quadrinhos nacionais, que era produzido ali, sob a batuta de Ely Barbosa. Bira recem-chegado de uma viagem a Coréia, onde foi mostrar a força dos quadrinhos brasileiros, reencontrou seu amigo e mentor Eduardo Vetillo, este último grande desenhista de títulos como CHET, SPECTREMAN, URTIGÃO e claro, dos personagens de Ely."
Leia toda o texto, com fotos, no Blog Alexandre HQ.


O balcao do bar, onde a gente pegava as "geladas"...

Carlos Migliorin nao acredita na foto do "tempo do ronca" que o Alex passou pra Eliete.

O Bau do Raul, digo, do Alexandre Silva...

Eu so' de butuca nas preciosidades...

Denise Ortega, entre Vetillo e Thereza: "Adorei essa viagem no tempo! O encontro foi divertido e emocionante! E deixou um gostinho de quero mais .... rs
Bjins para todos!"

Ao lado do Cidao, José Wilson Magalhães com a familia: "Obrigado pelo convite. Foi ótimo rever a todos e saber que carreiras lindas cada um conquistou iniciando no Estúdio do Ely Barbosa. Impressionante foram as surpresas que o Alexandre tirava do seu envelope mágico! Imaginem o que ele tem no quarto secreto? Abração."

Tavinho tenta explicar quem era o tal de Mamao, uma historia cabeluda nesta noite escura, sem energia elétrica (e sem cigarro). "E' proibido fumar, diz o aviso que eu li..."

Edson Luiz Parisotto: "Foi genial. Há muito tempo eu esperava por algo assim. Acabei por conhecer pessoas incríveis que passaram pelo estúdio depois de mim e antes de minha volta.Achei o suprasumo! Mas estamos apenas começando. Vamos trazer o fantástico nome de Ely Barbosa para as novas gerações. O que é bom nunca deve ser esquecido.
"
Aqui, o Edson explica pra Eliete e Thereza que quando ele era office-boy do estudio (na epoca em que D. Pedro II implantou a imprensa no Brasil), ele era protegido do Ely e era o unico a ganhar uma copia de cada revista produzida no estudio. O Ely exigiu que ele nunca contasse pra ninguem. O Edson nao e' de confiança, mesmo. Apesar disso, fez o site e a comunidade no Facebook do Ely...
http://www.elybarbosa.com.br/
http://pt-br.facebook.com/Ely.Rubens.Barbosa
Ele jura que os latidos na abertura do site sao do Tavinho.

Acima, podemos ver as "malas" de revistas e livros que eu trouxe para distribuir entre os felizardos. Muito material de campanhas políticas que tenho produzido. Entre elas, o livro do "Xiru Gauderio" do gaúcho Byrata, Cartuns do Bicio e "Quadrante X" do Coletivo Quadrinhos SA, de Santa Maria (RS).

Alexandre Silva, Aparecido (Mimoso), José Wilson Magalhães (pegando salgadinhos), eu (que quase nao apareci nas fotos por estar atras da câmera) e Denise Ortega.

Eduardo Vetillo (de costas) Tomaz Edson, Alexandre Silva, Aparecido (Mimoso), José Wilson Magalhães, sua mulher Carla e seu filho Pedro (de costas).

Sera' que sai um livro desse papo todo? Certamente material tem. Quem se aventura? Vetillo, pensativo, talvez vislumbre tudo o que pode ser abordado...

Todo mundo lembrou das vezes que teve que usar fantasias dos bonecos do Ely, quando algum anao desaparecia. O duro era ter que ficar de cócoras o tempo todo...

Tavinho lembra que ate' hoje nunca viu enterro de nenhum dos anões do Estudio, e olha que tinha vários la'...

Carlos Migliorin (Carlao), Denise Ortega e Tomaz Edson (os dois do Estudio Gibiosfera).
http://www.gibiosfera.com.br/

Tavinho (ao fundo) bate papo no escurinho, Eliete -sorridente- Barbosa explica o segredo da eterna juventude: "Não é formol, vc sabe ... sei lá, há coisas inexplicaveis entre o céu e a terra e eu sou uma delas ... kkkkkkkkk" e Edson Parisotto solta seu olhar "45"...

Alexandre Silva explica a Dona Thereza a relação do Big-bang com o Estudio Ely Barbosa.

Cidao e Edu Vetillo, bem a vontade, relembram velhas historias do Mestre Ely Barbosa.
"Oi, pessoal!
Noite memorável! Energia rolando à flor da pele e o Ely, gaiato como sempre, acendendo e apagando a luz a toda hora.
Cumprimento a todos pela confraternização e vamos nos reunir novamente, se possível, com uma exposição dos trabalhos feitos no estudio Ely Barbosa.
Um grande abraço."
Eduardo Vetillo


Eliete emocionada (aos prantos), ao ler a cartinha de Feliz Aniversario que ela escreveu pro Alex. Claro que ele ganhou um parabenzao de todo mundo.

Eliete Barbosa:
"Obrigada a todos pelo carinho ... eu não tinha ideia do quanto meu pai foi e é importante na vida de vocês.
Gente, esse foi só o 1o, uebaaaaaaaaaaa, vamos já resgatando os outros.
Quem tem que postar as fotos aqui Levanta a mão!!!
rsrs Bjsssss Beijos"

O Bau do Alexandre Silva nao parava de apresentar surpresas: catalogos de personagens, cartas, revistas raras (n.1 de Caca' e sua Turma e varios de Os Trapalhoes).

Alex Silva:
http://alexandrehq.blogspot.com/
"Pessoas incríveis voces são! Foi uma noite mágica!!! Adorei revê-los! D. Thereza, Otavio, Cidão, Édson Parisotto (um cara tão louco quanto eu!), Migliorin, todos presentes, e principalmente Eliete, a mentora de tudo!!! Seu Ely merece isso e muito mais! Vamos fazê-lo!!! Abraços a todos"

PRESENTES EMM QUADRINHOS

Aqui apresento os Quadrinhos gaúchos que seriam presenteados em seguida. Baaaaahh, tche, ah se o gaúcho Pontes estivesse aqui, guri!

Eduardo Vetillo com dois presentes: os Quadrinhos gaúchos do Xiru Gauderio (Byrata) e Quadrante X.

Tomaz Edson, recebe ainda os gibis de Campanha. A luta continua!

HORA DO TCHAU

A hora do espanto, digo da despedida. So' faltou o Mamao (minha gaita estava la')...


Ultima conversa para programar o proximo encontro. Certamente com mais gente.


MENSAGENS DE QUEM NAO VEIO:
Paulo Ramos (Blog dos Quadrinhos):
http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/

blogdosquadrinhos@gmail.com
"Oi, Bira. Torço - rogo, até - que desse encontro se pense em uma reedição das histórias de Ely, em particular do Incrível Exército dos Amendoins. Grande abraço, Paulo."

Mareliz Rodrigues:

http://bloglog.globo.com/marelizrodrigues/
"Que demais!!! Poxa, nessas horas e chato morar longe... Beijos a todos e obrigada!!!"

Gonzalo Carcamo:

gcarcamo@uol.com.br
"Fiquei mesmo com vontade de participar deste encontro. Certamente meu irmao Carlos com maior cumplicidade. Quem sabe no próximo.O Ely realmente deixou uma familia unida. Um grande abraço a essa galeria de feras!"
http://www.carcamo.com.br
http://www.gcarcamo.blogspot.com

Cleiton Cafeu:

http://www.cafeufilmes.com.br/
cleiton@cafeufilmes.com.br
"Bira, acabei de chegar no estudio.
Amigão, mesmo que nós conseguissemos nos falar antes, sabado eu não poderia ir, pois nesse dia faleceu o meu sogro, pai da Alessandra e estivemos correndo atras do velório e outras coisas.
Dá próxima vez me mande um email, com certeza ficarei feliz de encontrá-los todos.
Cara, de projeto no momento não tenho nenhum, só os trabalhos de sempre e correndo muito.
Fico feliz em saber do seus livros, me passe o isbn dos seus livros pra eu poder compra-los e depois vc me autografa,
Quando puder, venha me visitar aqui no estudio OK.
Grande abraço."
http://vimeo.com/20022978
Curta do Cleiton Cafeu. Trabalhou no estudio do Ely Barbosa e no Briquet Filmes. Ele tambem foi chargista do Sindicato dos Metalurgicos de S. Bernardo.

Newton Verlangieri:

perfectap@uol.com.br
"Que pena que marcaram tão em cima, senão eu teria ido. Você sabe se o Mingo foi?
Lembrei também do Marcos Félix, que atualmente é animador. Não deve ser difícil de ser contatado, porque ele é bem conhecido, já que passou por todos os estúdios.
Abraços"
http://www.perfecta.art.br

Orlando Costa Ilustrador
http://orlandocostailustrador.blogspot.com

Linc Nery
lincnery@bol.com.br
"Olá. Obrigado pelo contato. Espero e agradeço qualquer material do estúdio Ely Barbosa que você puder mandar.
E lhe convido para conhecer outros trabalhos:"
http://fotolog.terra.com.br/lincnery
http://www.brazilcomics.hpg.ig.com.br/jou_sehq1.html
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=13082584
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=24469323

MENSAGENS INTERNACIONAIS:
GOIRIZ (PARAGUAI)

"Cómo hubiera querido estar ahí! Es muy emotivo verlos reunidos. Siempre recuerdo con cariño el tiempo que pasé en São Paulo, trabajando en el estudio, con Ely y todos los compañeros. Les envío un abrazo fuerte, desde la distancia."
Roberto Goiriz

CARLOS CARCAMO (CHILE)

ccarcamo.cl@gmail.com
"Oi, Biradantas. tudo bem?
Eu estou morando aqui no sul do Chile e estou fazendo charges para o journal da minha cidade(Temuco). Tambem
faço caricaturas de políticos. O sitio do journal é
http://www.australtemuco.cl
Nao tenho pensado em outra viagem para lá. Tenho um filho que mora no Rio. Ele é engenheiro.
Qualquer coisa respeito ao travalho que a gente fazia com Ely, pode contar conmigo.
Te agradezco la invitación, pero me encuentro en Chile.
Espero que lo pasen muy bien recordando viejos tiempos.
Envía fotos para ver si reconozco a mis ex colegas.
Un abrazo a Valezin si es que aparece por ahí. Con él
he mantenido algún contacto últimamente."
Um abraço."

MENSAGEM DO ELY

6 de agosto de 2005
"OI, BIRA,
RESPONDI SEU EMAIL SIM, CARO AMIGO SUMIDO, PERGUNTEI SE VC ERA AINDA DO PT, ANTES DO ASSALTO QUE APTRONTARAM CIA. NAO TIVE RESPOSTA.
BEM FIQUE UNS DIAS SEM INTERNET POR DEFEITOS. MANDA O CARCAMO CHILENO CONTATAR A GENTE, ELE E LEGAL.
DIGITO MAL E NAO ANDO MAIS. FOI UM REMEDIO QUE TOMEI UM ANO, OUTROS MEDICOS ACHAM QUE FOI STRESS DE 5 ANOS QUE A GLOBO ME DEU. ESTOU TRABALHANDO EM CASA. A CASA DA INDIANOPOLIS VOU ALUGAR.
TUDO FICOU MENOR E MAIS FACIL,COM INTERNEET AGOTRA.
ESTOU PARA LANÇAR UM JORNAL INFANTO JUVENIL, LIVROS, E PROGRAMAS DE TV. TERMINO UM LIVRO SOBRE O SILVIO SANTOS, QUERIA SUA OPINIAO SINCERA, SE POSSIVEL..
RESPONDA-ME?

Oi, Ely... Puxa, não recebi sua resposta mesmo, o que aconteceu pra vc ficar sem andar, meu amigo?
Ely, teu livro tá ducacete. Com um tom coloquial que torna os personagens muito próximos de todos que acompanharam os programas do Sílvio Santos e as animações e livros que você fez pra ele.
Abraco do Bira

NAO SEI MEXER BEM COM ORKUT PARA RESPONDER DE PRONTO.
QUERIA AVISR VC E TODOS OS OUTROS QUE MEU SITE VOLTOU AO AR ONDE PODEM REVER O TUTTI FRUTTI E FOFURA. PENSO EM POR AS MELHORES HQS QUE FIZEMOS. O QUE VC ACHA? COMEÇARIA COM QUAIS PERSONAGENS?
GOSTOU DO LIVRO? ESPERO QUE O SILVIO TAMBEM, ELE ESTA LENDO...
PROCURO UMA EDITORA.

Ely, mostrei pra algumas pessoas bem próximas, que deliraram ao ler teu livro, ta' ótimo. O PT tá difícil mesmo. Já escrevi uma carta de desfiliação e a publiquei nas listas de ilustradores, chargistas e quadrinhistas das quais participo
e só espero o momento certo pra enviar à imprensa. Vou procurar e depois te envio.
Estou para publicar HQs em 3 revistas: Front (Via lettera), Mosh (Rio) e Quadreca (USP). E fui convidado a participar de uma Conferência Mundial de Quadrinhos na Coréia. Deve ter sido por causa de um prêmio que ganhei na Turquia (caricatura) e de trabalhos selecionados no Salão do Irã no ano passado...
http://www.wittyworld.com/news.html
http://www.irancartoon.com/palestine/CARTOONS/bira/index2.htm
(Selecionado no Salão do Irã)
http://www.irancartoon.com/footnet/a/bira/1.jpg
(Salão do Irã de Futebol)
http://www.universohq.com/quadrinhos/2003/n21102003_01.cfm
(Premiado no Salão da Turquia)
http://www.gibindex.com/ enciclopedia/br/u/429
(Verbete no Gibindex)
http://www.universohq.com/ quadrinhos/n07092002_03.cfm
(Gibi Nossa Rua)
http://www.morcegolivre.vet.br/ boletim_outubro.html
(Charge no Boletim do Morcego)
http://www.universohq.com/ quadrinhos/n03092002_02.cfm
(Gibi do Lula)

PEÇA, POR FAVOR AO CARCAMO PARA ME CONTATAR.
SEGUE UMA SINOPSE PARA VC DR UMA OLHADINHA. É COMPRIDA,É PARA UMA PUTA NOVELA. FOI APROVADA NA GLOBO COM FARTOS ELOGIOS, MAS FICOU DE STAND BY. E TOME AMERDICA NO POVÃO. NÃO ANDO PORQUE TENHO UMA SINDROME NO CEREBELO, SÓ COM CELULA TRONCO SERA CURAVEL. DE SAUDE ESTOU OTIMO, SÓ NAO ANDO. É DA VIDA DE QUEM CHEGA CÁ.
ABRACO

Ely, mudei de idéia, nao vou me desfiliar do PT... Nao gosto de ficar ao lado da turma da direita, dos reacionários...
Estou vendo que o preconceito contra o Lula e' muito grande e nao posso me dar ao luxo de fazer coro com eles.
Bem ou mal, o governo Lula esta' sendo um avanço nunca visto neste pais.
Pode ter muitas falhas, mas se a economia melhorar, o emprego e distribuição de renda aumentarem, ja' vai ser ótimo.
O povo brasileiro tem uma cultura muito rica. E as suas revistas em Quadrinhos fazem parte dessa cultura popular, pode crer. Por onde eu passo e digo que desenhei o gibi dos Trapalhoes, so' escuto coisa boa. Isso foi você que plantou, meu amigo. Parabens.

O DIA EM QUE ELY SE FOI:
Humberto Yashima:
"Oi, Bira!
Que notícia triste. Coloquei esse texto na sua coluna, ok?
http://www.bigorna.net/index.php?secao=birazine&id=1169261156
Abração!"

2007/1/19, biradantas@globo.com :
Esta noite eu tive um sonho. Sonhei que o Ely Barbosa, Eduardo Vetillo e o Worney vinham me fazer uma visita em Campinas e eu mostrava minhas produções novas pra ele, umas revistas onde usei minha filha de personagem. Ele chorava lembrando de quando começou a produzir as revistas com os seus personagens.
Acordei hoje cedo e comentei com minha mulher que queria visitar o Ely. Há uns 2 anos nós retomamos contato pelo orkut e por e-mail, mas como ele havia sido vítima de mal de Parkinson, tinha dificuldade em se comunicar.
Entrei no orkut hoje e deixei recado falando do sonho.
http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=5225767417916846374
Marko Ajdaric, este tão bem informado colega Neorâmico, quase me fez cair da cadeira ao me dar essa notícia ainda há pouco, repassada por Arthur Garcia.

Depois veio a confirmação do Paulo Borges:
"É com muito pesar que informo essa notícia. Ely Barbosa partiu hoje.
Creio que muita gente conheceu ou pelo menos ouviu falar dele os de suas criações. Ele criou a Turma da Fofura e tantos outros personagens que foram publicados pela Editora Abril, fez animações e comerciais de TV. Foi quem me deu a oportunidade de entrar no mercado editorial fazendo quadrinhos.
O velório e enterro foram na sexta-feira. Pra quem conhece a história dos quadrinhos no Brasil é uma grande perda."
(Paulo Borges, Ilustrador)
http://www.pauloborges.com

Puxa, que triste. Eu trabalhei no estúdio do Ely de 1979 a 1982, quando ingressei na imprensa sindical. Ely produziu muitas animações e livros ilustrados pro Sílvio Santos, desenvolveu uma grande família de personagens de HQs como
Cacá e Sua Turma, Patrícia e os Amendoins!
ELY BARBOSA. Este nome me acompanhou quase a vida inteira. Dos 17, quando fui estagiar em seu estúdio (de um anúncio em jornal descoberto por minha mãe, dona Lourdinha: "Precisa-se de Desenhista de História em Quadrinhos
com ou sem experiência"!) até meus quase 43 de hoje!
O Ely me disse que minha vontade de mostrar meus trabalhos era tanta, que ele não se surpreenderia de, ao se deitar com sua esposa Thereza, me ver sair debaixo da cama com algumas páginas pedindo que ele as olhasse!
Por todas as dicas, a paciência e a liderança que a poucos é presenteada, eu agradeço ao Ely e dedico a ele o prêmio Angelo Agostini (AQC - Associacao de Quadrinhistas e Caricaturistas SP), de melhor cartunista brasileiro, recebido há alguns Fevereiros atrás!
Profissional extremamente competente, ele fez parte da história da HQ Brasileira, com louvor! Até por isso já foi premiado com o prêmio Angelo Agostini, o Oscar do Quadrinho Nacional. Foi em seu estúdio que estagiei em 1979. Foi
lá que conheci outro grande desenhista, o Eduardo Vetillo (fez Hanna-Barbera pra RGE, Trapalhões pra Bloch e Chet pra Vecchi), de quem passei a ser assistente.
Foi no estúdio do Ely que publiquei minhas primeiras páginas em quadrinhos.
No Gibi dos Trapalhões. Por lá passaram Otávio Mesquita (contato publicitário do estúdio, muito antes de ele sonhar em ser apresentador de TV), Matilde Mastrangi, Éder Jofre e o dublador do Fred Flintstone nos desenhos.
Além de artistas como Mingo, Genival, Pontes, Cidão, Cleyton Caffeu, João Batista Queiroz, Sérgio Lima, Bonini, Watson Portela, José Lanzelotti, Vila, Sérgio, Orlando Costa e tantos outros.
Eu, que não acredito numa vida tão curta, espero que esteja bem, o nosso Ely!
http://www.elybarbosa.com.br

Paulo Borges:
http://www.pauloborges.com
"Fiquei sabendo a noticia hoje de manhã pelo Aparecido Norberto, o Cidão.
Sei que ele foi para o velório, não esta em casa no momento.
Acho que você tem até mais propriedade pra falar do Ely do que eu, ainda que muita gente conheça ele.
Grande abraço."

DESENHOS ANIMADOS DA TV PORTUGUESA

http://desenhosanimadospt.blogspot.com/2008/10/fofura-na-tv_29.html
A "Fofura na TV" é uma série Brasileira de fantoches. As personagens desta série foram criadas em 1976 por Ely Barbosa para livros de Banda desenhada, conhecidos como a Turma da Fofura. Em 1983 o autor começou a trabalhar na primeira série com as personagens da Turma da Fofura. Estreou no Brasil em 1985 a série "Boa noite, amiguinhos". Esta primeira série destinava-se a mandar as crianças para a cama. Mais tarde criou a "Fofura na TV" com intenções didácticas.
Na série "Fofura na TV" as personagens da Turma da Fofura fazem vários programas TV como o Jornal ("O primeiro a dar as últimas"), o FM Lambão(programa de música) entre outros. Em cada episódio o Nené(um bebé de chupeta, babete e ar espantado) faz algumas perguntas como "Porque é que as vacas mascam?", "Porque é que as mamães que vão ter nené são barrigudas?", "Porque é que as coisas caem?"; doutras vezes é a professora Fofura(um coelhinha de voz e olhos doces) quem pergunta directamente, "Vamos ver o que vocês sabem sobre os grandes inventos da humanidade...". As respostas são dadas normalmente pelo mocho Libório(cujo o "motto" é :"Quem lê mais"). As explicações deste são, por vezes, bem complicadas para as crianças pequeninas, tanto que o Nené comenta sempre "Não entendi nadinha!". Fazem ainda parte da série o coelho Escovão e o cão Lambão.
Ely Barbosa foi também o autor de outra série que passou em Portugal nos anos 80 a "TV Tutti Frutti". O autor faleceu em 2007.
A série estreou na RTP a 17 de Outubro de 1992.

2 comentários:

Bira disse...

Comentario enviado pela Denise Ortega:
"Oi, Bira!! Tudo bem?
Que bom que você me enviou as fotos do encontro! Minha máquina estava com a pilha fraca e consegui duas fotos apenas! rs...
Não tenho um blog pessoal (ainda preciso pensar nisso um dia)... mas li as matérias dos blogs do Xandão, do Vetillo e do seu (caricasdobira) e fiquei encantada! Ficaram ótimas!
Também gostaria de agradecer em meu nome e do Tomaz pela revista do Xiru, do Byrata! A gente se divertiu muito com a história, um roteiro muito bem feito! (e ainda aprendi um pouco mais sobre a cultura gaúcha!).
Obrigada pelas fotos!
Bjins
Denise Ortega / Diretora de Criação
twitter: www.twitter.com/deortega
Gibiosfera - Quadrinhos Corporativos
site: www.gibiosfera.com.br
blog: www.gibiosfera.com.br/blog
twitter: www.twitter.com/gibiosfera
denise@gibiosfera.com.br

Edson Parisotto disse...

Quanta nostalgia! Muito bom post, cara! Só agora pude ver. Parabéns. Adorei mesmo. Abraços do amigo.